Produção Para Iniciante #2

Fala, pessoal Som Binário. Leandro Carimbó de volta para dar continuidade a nossa lapidação.
No último texto (que você pode ler neste link), falamos sobre as duas primeiras etapas de uma produção, a pré e a produção em si. Agora, é hora de finalizarmos este projeto. Até agora, nosso diamante foi extraído e projetado para sua forma. Nesta última etapa, seremos o lapidário, responsável por lapidar e deixá-la mais linda possível para ser vendida.

A pós-produção é a parte musical onde iremos arrumar erros (não confundir em “arrumar erros” com fazer milagres de edição), ajustar a música dando o ar profissional e adequar sua música para o mercado. Te lembrou algo? Sim, exatamente! Estamos falando de edição, mixagem e masterização. Vamos separar a pós-produção nessas 3 etapas.

Edição: Como seu próprio nome já diz, é o momento em que iremos editar nossos instrumentos. No mercado atual, é praticamente impossível encontrar uma música que não foi editada. É aqui que iremos focar em ajustar os instrumentos no tempo, afinar as vozes, fazer cortes e etc. Falando de modo pessoal, eu nunca deixo uma música 100% editada, já que o ser humano não é 100%, porém, isso vai depender do estilo musical e, principalmente, seu gosto pessoal/cliente.

Depois de editar, é a hora de fazer a sua música soar ainda melhor, já que você gastou bastante tempo para encontrar os timbres para gravação. Em toda pós, a mixagem é o período mais importante, o famoso coração das etapas. Um bom trabalho nesta etapa resulta diretamente na qualidade da música. Aqui, iremos encaixar os elementos da música, filtrar, comprimir, equalizar, entre outras coisas neste processo. É importante ressaltar que esta etapa não se faz em 15 minutos. Grandes produtores levam horas e até dias para um resultado gratificante. Em meu estúdio (Dark Path Studio), desde seu início, nunca fiz uma mixagem em menos de 7 horas.

Por último, mas não menos importante, chegamos finalmente na masterização. Muitas pessoas acreditam que é nesta parte em que “erros” de mixagem são consertados. ERRADO! Masterização não é para consertar e sim para agregar. Erros de mixagem devem ser arrumados na mixagem. Qual é a principal função da masterização então? Nivelar a sua música para o mercado, dar aquela polida no diamante para que fique brilhante, lindo e mais bonito da vitrine. Se seu projeto é mais de uma música, a masterização que vai ajustar o volume padrão, fazendo com que todas as músicas soem de forma parecida, como se fosse uma única obra.

Bom, é isso. Espero que tenham gostado deste resumo, pois o universo da produção musical é gigantesco. Se você tiver sugestões de temas para serem escritos, deixe aqui nos comentários. Em breve, estarei voltando para falar sobre os 5 erros dos produtores musicais na pós produção.

8 Dicas infalíveis para suas Mixagens de Bateria

Leandro Carimbó

Leandro Carimbó é formado em música pela Universidade Nossa Senhora do Patrocínio em Salto-SP. Além de sua formação, teve aulas com produtores como Jorge Araujo, Eyal Levi, Joey Sturgis, Vance Powell e cursos personalizados na faculdade americana de berklee (produção musical, composição, arranjo).

Website: https://www.darkpathstudio.com/