Acustica-Audio Nebula – Uso Básico

[Total: 0    Média: 0/5]

Eu amo Nebula. Ele mudou tudo sobre minhas gravações, dando-me acesso a ferramentas que muito provavelmente nunca teria. Mas encontrei alguns problemas, ele me obrigou a obter um computador totalmente novo, mudou o meu trabalho de uma forma que não pode ser considerada benéfica inicialmente, e causou horas de aprendizados sobre os seus prós e contras e eu ainda sou muito novo no Nebula, mas já aprendi algumas coisas básicas e vou passar para você agora.

Eu não vou explicar o que é o Nebula porque você pode fazer isso muito facilmente acessando o site dele e ler você mesmo: http://www.acustica-audio.com.

O objetivo deste post é para ajudar aqueles que estão começando com o Nebula para usar o mais rápido possível. O procedimento de instalação é um pouco estranho, o registo é estranho, os ajustes são estranhos, o uso é estranho. Mas os resultados fazem tudo valer a pena.

Então, primeiro algumas noções básicas.
Você deve certificar-se de entender tudo isso antes de prosseguir.

Nebula é a plataforma em que as suas bibliotecas são carregadas, tipo o Kontakt por exemplo. Por si só, não faz nada. Pense nisso como um recipiente e as bibliotecas vão para dentro dele para que ele faça alguma coisa.

O local padrão é c:\nebulatemprepository no Windows. No Mac Library/Audio/Presets/AcusticaAudio/Nebula3.

A versão gratuita do Nebula 3 não é tão poderoso quanto o Nebula 3 Pro. Basta comprar Pro no início e poupar algum problema.

Algumas bibliotecas não irá funcionar com a versão gratuita. Compre a versão Pro.

Instalação

1. Baixe a versão que corresponde ao seu software DAW. Se você estiver executando o software de 32 bits em um sistema operacional de 64 bits, você vai precisar instalar alguma ponte de VST (recomendo o jBridge para Windows e o 32Lives para MAC) para que você possa aproveitar mais de 4GB de RAM.

2. Instale o Nebula.

3. Insira a versão Reverb do Nebula em uma trilha. A grande diferença entre as versões standard e reverb é que a versão reverb permite caudas mais longas e tem maior latência. A versão padrão usa uma quantidade surpreendentemente elevada de CPU.  A não ser que deseja monitorar em tempo real uma gravação com o nebula insertado, se sua maquina aguentar, vai fundo na versão standard.

4. Depois de executá-lo pela primeira vez, ele cria um arquivo .ser na pasta nebulatemprepository. Pegue esse arquivo e envia para o e-mail de Giancarlo para registrar sua cópia. Faça você mesmo um outro favor aqui e imediatamente, enviar para o quadro de mensagens ou mensagem privada para dar-lhe alguma ajuda. Isso provavelmente vai acelerar o processo.

Mais uma vez, comece sempre usando a versão Reverb do plugin.

Comece clicando na palavra “Init” para abrir o menu de bibliotecas. Escolha um EQ. A palavra “init” alterações a qualquer patch que você selecionou. Diretamente abaixo que é uma descrição, se houver. Diretamente abaixo que diz algo como isto:

FRT: 96.000 Hz -> 48000 Hz

O primeiro número é a freqüência com que o patch foi capturado, o segundo número deve ser a freqüência em que você está operando. A seta no meio deve ser sólida, sem piscar. Se tudo isto for o caso, está tudo bem. Em toda a probabilidade, os dois números será o mesmo e a seta vai estar piscando, o que significa que ele não está mudando a taxa de amostragem corretamente e, portanto, não vai soar bem. Clique no botão MAST na parte inferior da pseudo-LCD e altere a taxa de CNV para algo como 7000. Aperte o botão SAVE (superior direito sobre MAST), em seguida, voltar para PROG (os controles do programa) e, em seguida, RELOAD (canto superior direito novamente.) Os dois números devem ser o mesmo. Certifique-se de verificar isso, muito importante!

Em seguida, realmente usá-lo. A chave para obter o máximo proveito do Nebula é o ganho de entrada. Se você está acostumado só com áudio digital meio que viciou em não aumentar tanto os volumes de entrada para não ter um corte digital em sua DAW, portanto um único canal pode bater 7db ou mais e isso realmente não importa, desde que o seu canal de saída não clip. Porque bibliotecas do Nebula são essencialmente clones de dispositivos de hardware, então você precisa se certificar de que você nunca ultrapasse de 0 dB na saída.  Com algumas bibliotecas o corte resultará em um sinal sonoro digital e é realmente brutal que pode ferir seus alto-falantes e ouvidos.

A partir da página PROG, você pode dizer o nível de entrada, olhando para o valor de entrada L. O número mágico é -18 DB. Tente manter um ganho médio em torno de  -12 e -6. Se for muito baixo, use o nob INPUT. Muito alto, use OUTPUT para compensar. Eu uso o plugin Sonalksis FreeG  se eu quero o melhor controle de ganho de entrada, uma antes e outra depois do Nebula.

Algo para se observar é o confuso NORMAL vs ECONO. Na página PROG é um botão que diz ECONO quando tudo está funcionando normalmente. Se você clicar nele, ele muda para NORMAL e tem um ponto a piscar. Se você ver isso, você está operando em modo ECONO, o que significa que não estão a funcionar da maneira que o patch foi pretendido. Algumas bibliotecas equivocadamente trazem o modo ECONO ativado por padrão e você pode não notar. Os efeitos desta diferem de programa para programa, mas executado em modo NORMAL por ter certeza que ele sempre diz ECONO, já aconteceu em algumas bibliotecas, não me lembro agora pois tenho muitas instaladas aqui.

Com isso tudo dito, o resto é bastante auto-explicativo. Equalizadores são tipicamente uma banda por instância do plugin. Isso usa maiores recursos de cpu que são necessários para várias bandas dentro de um único patch. Precisa de uma outra banda? Adicione outra instância do Nebula. Há algumas bibliotecas com multi-band EQ – Destino EQ e Mammoth EQ ambos têm alguma. O Fate’s Kick EQ  em particular é matador! Eu diria que, em termos de valor pra mim são os consoles e em seguida EQs. Os consoles só valem a preço de entrada.

Recomendo não usar esses vetores durante a edição ou gravação. Adquira o hábito de aplicar as configurações aplicando bounce quando já tiver certeza do resultado, fazendo print das trilhas.

Quando você compra o Nebula Pro, ele vem com uma grande biblioteca, mas você também pode usar bibliotecas de terceiros, segue um link com vários desenvolvedores: http://bit.ly/1EMdCn8

 

Isso é tudo por agora. Se você ver erros na postagem, por favor me corrija, escrevi super rápido. Espero ter ajudado.

20 Vídeos Tutoriais da Waves em Português!

Jorge Binário

Jorge é musico, compositor, artista, produtor musical, blogueiro, louco por áudio e tecnologia. Fundou o blog SomBinário em 2012 e desde então vem desenvolvendo serviços online direcionados ao ensino de ferramentas de manipulação de áudio, técnicas de mixagem, masterização e serviços de mixagem online para clientes de todo o globo terrestre, sem fronteiras.

Website: https://www.sombinario.com

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Me avise se houver respostas