SPL DrumXchanger – REVIEW

SPL’s Transient Designer é provavelmente o processador dinâmico mais original que apareceu nos últimos 15 anos, a tecnologia do produto que encontra-se no coração do DrumXchanger traz novas possibilidades nos controles. Assim, tendo inserido em um canal que precisa de um som de bateria para substituição, lá vamos nós.

Visão geral:
A partir da esquerda você tem um controle de ganho que dá + /-15dB, quatro botões de predefinição para armazenar diferentes configurações do dispositivo (com a capacidade de copiar e colar entre eles) e um botão editor que acessa a página onde você possa construir suas próprias bibliotecas de samples.

Em seguida é o estágio de entrada. Aqui você pode manipular o som da fonte usando o primeiro dos dois botões você pode ajustar filtros de passa-alta e passa-baixa e, em seguida, definir um nível de atack se você quiser o vazamento, mas não no som que você está substituindo.

Nessa primeira parte do painel (parte esquerda), você controla o som antes de passar pelo trigger.

Na prática:

Dito isto, uma vez que você tem os arquivos WAV é muito fácil para colocá-los dentro de cada um dos oito níveis dinâmicos disponíveis no plugin

Você também pode colocar uma amostra que desempenha em toda a track, para que você não tenha que ter multisamples para que ele funcione. Você, então, salva como uma preset e chamar usando o botão de load no painel frontal.

Depois de ter escolhido o seu sampler, você pode processá-lo usando mais filtros na segunda parte do painel (lado direito) Você pode mudar sua altura e, em seguida, misturá-lo com o som original, usando o controle dry/wet, ou apenas usar o som do sampler.

Em um bom sinal de entrada limpo leva muito pouco tempo para criar. O disparo é sólido e a fase é extremamente boa. Você pode trocar a fase do sampler e avançar ou atrasar a sua reprodução, mas eu não precisei fazer nada disso em meus testes , apenas funcionou. Com sinais de disparo mais difíceis, você tem que mexer um pouco mais, por isso o SPL DrumXcharger te dar tanto controle. É possível fazer as coisas nele que em muitos outros sistemas eu desistiria.

A adição dos quatro presets significa que você pode configurar o trigger básico, copiá-lo para os outros presets e adaptar estas a quaisquer momentos que precisar. Com um pouco de automação para alternar entre eles, você pode domar praticamente qualquer faixa problemática sem ter que editar o áudio. A SPL adicionou capacidades MIDI a partir da versão 1.2, para te dar mais controle ainda da situação.

Este é um fantástico plug-in, com recursos incrivelmente poderosos de substituição de bateria.

Prós
Configuração de trigger altamente controlável. Vem com uma biblioteca de samples e te dar a opção de construir o seu próprio. A capacidade para misturar o sinal original e a amostra com um desenhador transitório separado para cada caminho do sinal.

Contras
Só aceita WAV.

Veredito
Um excelente dispositivo que simplifica o processo de substituição de kits de bateria, em particular com fontes difíceis.

Você pode fazer o download da bibliotecas de samples gratuitamente no site da Plugin Alliance: http://www.plugin-alliance.com/en/plugins/detail/spl_drumxchanger.html

Jorge

Jorge Araujo é Produtor Musical, musico, compositor, artista, blogueiro, louco por áudio e tecnologia. Fundou o blog SomBinário em 2012 e desde então vem desenvolvendo serviços online direcionados ao ensino de ferramentas de manipulação de áudio, técnicas de mixagem, masterização e serviços de mixagem online para clientes de todo o globo terrestre, sem fronteiras.

Website: https://www.sombinario.com/

  • pedro

    posso usar um aquivo meu mesmo ou só presets do programa, pois tenho vst, mas não consigo fazer com que o sample se some a bateria!

    • Jorge Araujo

      pode sim, desde que esteja em .wav