4 dicas para criar mais Headroom em suas mixagens

Headroom é a “zona de segurança” entre transientes de áudio e o ponto de corte. Quando estamos seguindo adiante na mixagem você pode ir perdendo espaço, e não ficar atento para isso pode causar inúmeros problemas no seu Som.

O headroom permite uma mixagem mais dinâmica. Nos tempos analógicos, + 24dBu era o ponto de corte com + 4dBu sendo “zero” no medidor VU. Muitas pessoas assumem 0dBFS no mundo digital corresponde a0 VU do analógico. Na realidade 0dBFS corresponde a + 24dBu. Tendo isso em mente, aqui estão algumas dicas sobre como criar espaço livre em suas mixagens.

meter

Configure sua sessão para 32bits ponto flutuante!

Ao trabalhar em uma sessão de mixagem digital em 32bit, você garante um espaço absurdo de ganho sem corte, lembrando que sua gravação precisa ser em 24 bit.

Áudio de 16 bits pode ser capturado em 65.536 diferentes níveis, enquanto o áudio de 24 bits permite 16.777.216 níveis, faça os calcos e veja que 32 bits trará um espaço ultra gigante para sua mix, em ambiente virtual.

O aumento do número de bits permite que o áudio seja gravado com mais suavidade e com uma boa relação sinal-ruído.

Ao operar em 32bits, você deve apontar para picos de áudio em torno de +10dB. Isto irá permitir um bom volume na fase de mixagem e masterização.

Lembre-se que 32 bits não necessariamente soará melhor do que áudio de 16 bits, ele só lhe dá mais margem dinâmica, o que pode resultar em um processo de mixagem e masterização muito mais fácil e consequentemente, sim soando melhor.

Melhor qualidade no processamento dos plugins, evitando erros de aliasing durante a quanitzação do áudio internamente em sua DAW.

Na prática isso vai dar você ao poder de recuperar seu áudio caso aconteça algum eventual corte, facilitando muito o trabalho de masterização. O Masterizador pode facilmente recuperar um áudio distorcido em uma mixagem aonde isso tenha ocorrido.

Um exemplo prático para você entender melhor:

Por que usar áudio em 32bit? Exemplo Prático de Dynamic Range

Inscreva-se

Abaixe esses faders!

faders
A primeira coisa que faço quando vou começar uma mixagem é manter todos os faders para 0dBFS. Se a master clipar, é geralmente um sinal de que o áudio foi gravado muito quente.

Nesta situação, costumo inserir um plugin de ganho (Trim), e faço uma pré-mixagem com eles atenuando trilhas muito altas e aumentando trilhas mais baixas, e mantenho os faders numa boa margem para realizar a mixagem. Nessa etapa acabo atenuando de -6 ou -10dB e compenso aumentando os meus monitores.

Isto dá a mix algum espaço para respirar, e é uma técnica útil para quando se lida com grandes sessões.

https://www.sombinario.com/preparacao-da-mixagem/

Recentemente eu mixei uma canção pop com 120 trilhas, com as faixas mais altas chegando a -6dB. Sem surpresa, o fader master foi logo cipando. Derrubar todos os faders para 10dB me deu a altura livre necessária para fazer uma boa mixagem. (Lembrando que tudo estava rodando em 32bit flutuante).

Em DAWs modernas, o master fader pode ser trazido para baixo para evitar corte. Minha preferência pessoal é para manter a 0 porque promove a boa gravação e a técnica de mixagem.

Nivele pelo climax!

mix direita esquerda

A maioria das produções colocam o clímax da música em algum lugar perto do fim ou refrão. Se você começar a ajustar os níveis no início do som, você provavelmente não está deixando espaço suficiente para a canção a crescer. Então sempre inicio a mixagem pelo ponto mais energético da música.

Mixando a seção mais alta primeiro garante que você terá espaço suficiente para todo o resto. Lembre-se, a automação é seu melhor amigo.

Decidir o que é importante

frequencias

Se tudo é destaque, nada é destaque. Escolha um ponto e foque nesse ponto em sua mix, e trabalhe em torno disso. Para produções pop, o vocal é geralmente a coisa mais importante acontecendo na música.

Às vezes é difícil não trazer o fader em que o riff de guitarra esteja soando incrível ou que a linha de baixo seja bem louca. Se você começar a trazer outros elementos da mix para cima, você estará transformando tudo como estava antes sem que você perceba. Bye bye, Headroom. Então, decidir o que é realmente importante na mixagem é uma regra.

20 Vídeos Tutoriais da Waves em Português!

Jorge Binário

Jorge é musico, compositor, artista, produtor musical, blogueiro, louco por áudio e tecnologia. Fundou o blog SomBinário em 2012 e desde então vem desenvolvendo serviços online direcionados ao ensino de ferramentas de manipulação de áudio, técnicas de mixagem, masterização e serviços de mixagem online para clientes de todo o globo terrestre, sem fronteiras.

Website: https://www.sombinario.com

5
Deixe um comentário

avatar
2 Comentar tópicos
3 Respostas do Tópico
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário mais quente
3 Autores de comentários
Jorge AraujoEstevão SampaioSandro Chagas Autores recentes de comentários
  Inscreva-se  
Mais novo Mais velho Mais votado
Me avise se houver respostas
Sandro Chagas
Visitante
Sandro Chagas

Tá matando a pau seu blog heim Jorge. Muito bom

Estevão Sampaio
Visitante
Estevão Sampaio

Ola jorge. Voce geralmente grava em qual nível de Db? Voce libera o
musico para tocar em um nível maior e apenas regula o input para a
interface?

Jorge Araujo
Visitante

Aqui em casa sim, sempre tento mandar o mais alto possível, assim capturo mais informações do som.

Estevão Sampaio
Visitante
Estevão Sampaio

ótimo! alguns dizem para manter o nível do imput em -18db no Vu da DAW. Isso procede?

Jorge Araujo
Visitante

depende do instrumento, da acustica, do músico, e principalmente do noise floor, é ai que entra a qualidade do pré. -18db digital ta bom para muita coisa, mas quando mais alto melhor.